Pages

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

A menina de recados

[Este é um post-desabafo ou um post-mimimi, já vou logo avisando.]

Fico tempos sem postar nada e quando venho postar é para fazer mimimi em vez de tentar escrever algo interessante. Desculpem, é que não aguento.

Cheguei à conclusão de que a segunda coisa que mais odeio na vida, depois de fumaça de cigarro na minha cara, é ser tratada pelo que chamo de "a menina de recados". Hoje aconteceu uma situação que não posso detalhar, mas que trouxe à tona esse sentimento de raiva (ou algo do tipo) em relação a como algumas pessoas se comportam em relação às outras.

Ser "a menina de recados" é quando alguém me fala: "Fala x, y, z para Fulano". Como assim? Por que a própria pessoa não vai lá e fala o que ela quer e pensa? Eu odeio quando me tratam como a menina de recados. Assim como odeio quando as pessoas não falam na cara uma das outras o que pensam, ficam fazendo fofoca ou, pior, dando indiretas no Facebook, Twitter e caralho a quatro. É isso aí, continuem sendo covardes e ridículos e achando que esse tipo de comportamento vai mudar o mundo e as pessoas para melhor - penso, mas não falo. Ah, gente, por favor, que falta do que fazer, né? Vá ler um livro, dormir, fazer uma caminhada, cozinhar, lavar a louça acumulada na pia.

A última vez em que me senti "a menina de recados", que me lembre, foi quando meu pai falou para eu "dar uns conselhos" para o meu irmão. Na verdade, ele queria que eu falasse x, y, z para o meu irmão. Fiquei irritada e disse que não daria conselho nem recado nenhum. Se ele quisesse falar com o meu irmão, ele que falasse na cara dele. Oras. Que coisa mais chata!

Somos todos adultos, não precisamos disso.

Antes de ter esses tipos de comportamento, "Vai lá e fala para Fulano que x, y, z", de dar indiretas em redes sociais, de fazer fofoca, as pessoas deveriam colocar a mão na consciência e pensar: "Bom, não tenho coragem suficiente para falar o que penso/fazer críticas para a própria pessoa, então vou me calar".

Não tem nada a ver ficar envolvendo terceiros. Vai lá e fala na cara. Se a pessoa não gostar e reagir mal, aí são outros quinhentos. Pelo menos o recado foi dado e da melhor forma possível (diretamente para a pessoa interessada e não para terceiros).

Vote em mim, por um mundo livre de meninas e meninos e recado!

Obrigada.

#prontofalei