Pages

domingo, 17 de agosto de 2014

Como emagrecer sem passar fome ou A autorreeducação alimentar

Desculpem pelo título chamativo. Não pude resistir. Tive que imitar as chamadas daquelas revistas femininas sensacionalistas com dicas de emagrecimento absurdas ("Perca 10 kg em uma semana!").

Acontece que estou mesmo de dieta e queria escrever um pouco sobre essa experiência.

Antes quero contar que ontem (sábado), contraditoriamente, fui celebrar quatro semanas de dieta em um restaurante japonês com o Sergio e com a Yuri - depois de ficar essas quatro semanas sem jantar fora. A Yuri queria que eu experimentasse o sukiyaki de um restaurante chamado Sushi-Yassu, que fica na Liberdade. Então fomos para lá.


Eu e a Yuri pedimos o tal sukiyaki, que é preparado na nossa mesa pela atendente, e o Sergio pediu um outro prato, um cozido com peixe, frutos do mar, cogumelos, macarrão transparente (harusame), entre outras coisas, que também é muito bom.

Sukiyaki - prato acompanha 2 porções de arroz japonês, nham!


Fiz um pequeno vídeo da atendente finalizando o preparo do sukiyaki na nossa mesa aqui.

Combinei comigo mesma que uma vez por mês vou jantar fora e comer alguma coisa gostosa (em vez de duas ou três vezes por semana, como eu fazia antes). Mês que vem quero comer hambúrguer e batata frita de verdade (sem ser congelada) no Sujinho, uma das minhas hamburguerias preferidas e que, ainda por cima, é barata.

E, só para constar, antes de começar a dieta, eu e a Yuri fomos a um restaurante com comida africana chamado Biyou'Z, que fica no centro de São Paulo. Comida boa e barata. Eu adorei e recomendo.


Um tipo de polenta + cozido de carne + espinafre com um molho acho que de peixe


Vegetais cozidos + cozido de carne + arroz com tempero especial

Mas voltando para a dieta. (Estou de dieta, mas continuo adorando falar sobre comida...)

Eu estava anormalmente cansada já há alguns meses e queria voltar "ao meu estado normal". As coisas sempre foram muito corridas para mim, sempre trabalhei bastante, mas nem quando, além de trabalhar e fazer freelas em casa, eu estava tendo aula na FGV e voltava supertarde, eu me sentia tão cansada. Fora que também estava (estou) muito acima do peso e decidi começar uma dieta para emagrecer.

O certo seria ir para uma nutricionista, mas como me acho muito esperta (rá!), resolvi fazer a dieta por mim mesma. Na verdade, nem é preciso ser tão inteligente assim. Concluí que bastaria cortar alimentos muito calóricos e se exercitar.

Com base na minha "esperteza", cortei: frituras, açúcar (na verdade, ainda consumo alguma coisa, mas reduzi em uns 95% o consumo), queijos, leite integral (troquei por desnatado), massas (macarrão, pizza (!!), pães, bolos) e arroz japonês/arroz branco, e estou tentando caminhar no mínimo 3 vezes por semana, caminhadas de 1h cada. Aí, nessas últimas quatro semanas, aconteceu o óbvio: emagreci. Quase cinco quilos! :)

Primeiro, lembrei de uma "dieta da sopa", com algumas regras dependendo do dia da semana, que uma amiga do ginásio havia me passado (essa aqui), porque a irmã dela tinha problema de peso e usava essa receita/dieta - que cheguei a fazer algumas vezes na época e a perder um pouco de peso, mas não consegui seguir por mais de três dias mês passado. Acontece que a sopa é ruim. E não consigo comer mal dessa forma.

Então a esperta aqui decidiu fazer uma outra dieta, menos restritiva e com uma sopa menos pior. Agora faço minhas próprias sopas, com ingredientes variados, dependendo do dia e do que comprei na feira naquela semana. Também preparo jantares com arroz integral com ou sem vegetais, peito de frango "grelhado" ou bife e salada ou vegetais cozidos.

Como preciso almoçar fora nos dias de semana por causa do trabalho, também acabei mudando alguns hábitos. Excluí do cardápio pratos gordurosos, fritura e massa que eu comia lá. O mais difícil foi excluir o macarrão com funghi da terça e o rolinho primavera de queijo com molho agridoce da quinta. Também descobri uma coisa meio óbvia: comer frutas depois do almoço sacia a vontade de comer açúcar (chocolate ou sorvete, por exemplo) ou pelo menos é o que acontece comigo. Também passei a beber cerca de 1,5 litro de líquidos (sendo no mínimo 1 litro só de água).

Para quem, como eu, tem curiosidade e uma certa "tara" por ver o que as pessoas comem, seguem fotos de alguns pratos que comi no almoço em dias de semana no restaurante self-service Giorgio, lá no Centro Comercial de Alphaville.


Essas frutas geralmente são muito, muito doces!









E alguns pratos que preparei para o jantar ou almoço nos fins de semana:

Sopa de legumes (vários) e peito de frango desfiado

Arroz com repolho-roxo + carne moída com pimentões + salada + suco de goiaba

Sopa de batata, mandioquinha e brócolis

Maionese + frango grelhado + salada

Maionese + frango grelhado

Purê de batata + brócolis e cenoura cozidos + tiras de carne

Sopão de legumes com carne

Arroz com brócolis + purê de batata + filé de peito de frango

Caldo verde com carne seca

Purê de inhame + bife acebolado + vegetais cozidos + melancia

Cortei com prazer:
- refrigerante
- suco em caixa (isso eu já estava evitando ao máximo há algum tempo, por ter ficado com nojo extremo depois de ter visto a foto abaixo - a história inteira pode ser lida aqui)


- açúcar em excesso
- fast-foods

Cortei, mesmo gostando muito:
- sorvete
- chocolate (um mês sem Lindt com amêndoas... oh my!)
- massas (macarrão, pizza, bolos, tortas, pães)
- queijos
- leite integral (troquei por desnatado e não foi tão dramático) e Nescau - agora tomo leite desnatado + 2 colheres de chá de chocolate "do padre" + um pouco de canela + um pouco de adoçante... é muito bom!


- açúcar (na verdade, reduzi o consumo em pelo menos 95%)
- arroz japonês (substituí por arroz integral)
- pão de queijo
- pizza vegetariana
- pastel de feira
- batata frita

Não cortei:
- batata, batata-doce, inhame e afins
- maionese (uso duas colheres para mais ou menos 1kg de batata na maionese)
- manteiga (uso uma colher de sopa para preparar purê de batata com mais ou menos 1kg de batata)
- balas de hortelã que pego no restaurante e "Tic Tac" (algumas vezes por semana)


- banana (como duas ou três por dia - uma ou duas de manhã e uma depois do trabalho, mais ou menos às 17h; o bom da banana é que ela é doce e consistente, então segura a fome até o almoço ou jantar e não me dá vontade de comer bobagens entre as refeições principais)
- carne, frango (só como peito agora...), peixe
- Mupy


 - Piracanjuba


- embutidos (não cortei totalmente, mas evito); faz um mês que não como embutidos, mas na semana que vem vou experimentar fazer uma tal de "sopa alemã", que vai 6 salsichas

Com essa experiência, chego à conclusão de que uma dieta muito restritiva ou do tipo "segunda você pode comer frango, terça não pode comer folhas etc." não funciona para mim. E nem dieta com pratos repetitivos, por exemplo, o mesmo tipo de sopa todos os dias - se a sopa for ruim, pior ainda.

Não sei se estou errada, mas o caminho mais óbvio é mesmo cortar comidas gordurosas e com muito açúcar e fazer atividades físicas. Não existe milagre, é tudo uma questão de lógica. E talvez de um pouco de força de vontade e disciplina. Gostar de cozinhar ajuda, pois nem sempre dá para saber exatamente quais ingredientes (ou em que quantidades) vão nas comidas que comemos fora de casa.

Devo continuar com essa dieta até chegar ao meu peso normal. Se não conseguir atingir o objetivo, quando meu peso estagnar e se eu ainda tiver peso para perder, provavelmente precisarei entrar numa academia e quase morrer de tédio para continuar a perder o sobrepeso restante. Não me animo em entrar em academia, mas se for o único jeito, eu entro. Preferiria continuar com essa mesma dieta e caminhadas (e depois corridas no parque) e continuar perdendo peso dessa forma. Depois que atingir o meu peso normal, aos poucos, vou voltar a comer uma parte das coisas que eu comia antes (sorvete, pastel de feira, hambúrguer), mas sem exageros - comer uma sobremesa gostosa ou macarrão ou alguma fritura uma vez por semana seria ótimo.

Queria voltar ao meu peso mais ou menos normal, como na foto abaixo (acho que isso foi em 1999, no meu primeiro ano de faculdade, quando devo ter perdido uns 5 kg nesse ano, porque a dona da pensão onde eu morava cozinhava muito mal e eu comia muito pouco). E nessa época meu irmão também estava magro...


Por enquanto estou assim:

Fazendo palhaçada na estação de metrô hoje...